VITOR LIRA

Resistência contra as remoções no Morro Santa Marta. Rio de Janeiro, RJ.

Vitor Lira

Vitor Lira é morador do pico do Santa Marta, histórica favela do bairro de Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro. Essa área possui uma das vistas mais bonitas da cidade e sofre desde 2006 a tentativa de remoção por parte do governo do Estado. Além disso, após a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora, em 2008, se intensificou a militarização e o controle do cotidiano das famílias, sem que houvesse mudança na qualidade dos serviços públicos oferecidos para a população, como prometido.

Um grupo liderado por Vitor na Comissão de Moradores do Pico do Santa Marta se organizou para questionar as reais intenções do governo em removê-los da área. Desde 2011, uma série de atividades vem sendo realizadas contra a remoção de 150 famílias e pela urbanização do local, como caminhadas ecológicas, debates e oficinas. Vitor tem sofrido retaliações por parte do Estado, como intimidações constantes e insegurança.

Argumenta-se que o pico do Santa Marta está em área de risco, mas obras de contenção de encosta foram feitas em governos anteriores e mesmo com a força das chuvas que atingem a cidade há décadas não se registrou nenhum incidente no local. Laudos alternativos comprovam a segurança das casas e suas ruas e vielas já têm nome, e cobrança de água e luz, apesar da falta de urbanização e ameaça de remoção.

Há poucos anos, o pico do Santa Marta era um local de difícil acesso. Mas obras de mobilidade tornaram a belíssima vista mais acessível e cobiçada. O alto do morro tem uma das vistas mais privilegiadas da cidade, de onde se vê o Pão de Açúcar, Cristo Redentor, Lagoa Rodrigo de Freitas e as famosas praias da Zona Sul.

O pico do Santa Marta é um local muito frequentado pelos turistas que visitam o Rio de Janeiro e é de lá que parte a trilha para o mirante Dona Marta. Como o trem do Corcovado já não comporta mais os turistas, políticas oficiais de turismo consolidaram o Santa Marta como um programa alternativo ao principal cartão postal da cidade, o que gerou interesse de vários empresários pelo fluxo de turistas estrangeiros e brasileiros que circulam por lá.

Mas como ressalta Vitor, pouco ou nada fica para os moradores. Como diz uma das muitas faixas contra a remoção penduradas nas casas do Pico, referência ao samba-enredo de 1989 da Beija-Flor: “Ratos e Urubus, larguem o Santa Marta”. Que assim seja.